PREFEITURA DE ARAÇATUBA - IPTU
Polícia

Vizinho é preso acusado de matar homem a facadas no São Rafael

Crime aconteceu na noite de 27 de outubro e o acusado foi preso pela Polícia Civil enquanto dormia, nesta sexta-feira
Lázaro Jr.
10/11/2023 às 18h21
Corpo da vítima foi encontrado na rua Antônio dos Santos Ribeiro (Foto: Lázaro Jr./Arquivo) Corpo da vítima foi encontrado na rua Antônio dos Santos Ribeiro (Foto: Lázaro Jr./Arquivo)

A Polícia Civil de Araçatuba (SP) prendeu na manhã desta sexta-feira (10), um homem de 38 anos, acusado de ter matado William Pereira da Silva Melchior, 27, assassinado com 17 facadas na noite do dia 27 de outubro, no bairro São Rafael.

 

Segundo a polícia, o investigado é vizinho da vítima, que morava na rua Shimo Tada, e confessou o crime. Ele alegou que suspeitava que Melchior estaria furtando a casa dele, versão que ainda será investigada.

 

A reportagem acompanhou o caso naquela noite e esteve na rua Antônio do Santos Ribeiro, onde equipe da Polícia Militar preservava o corpo, que estava caído no meio da rua, na frente de um condomínio de apartamentos.

 

A informação obtida pela polícia na ocasião foi de que a vítima teria sido atacada inicialmente na frente da casa dela, saído correndo e alcançada na Antônio dos Santos Ribeiro, que é paralela, onde foi golpeada novamente.

 

Equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) chegou a ser acionada, mas constatou o óbito no local. Exame pericial apontou pelo menos 17 lesões no cadáver, localizadas nas costas, tórax e pescoço.

 

Identificado

 

Um inquérito foi instaurado pela DH/Deic (Delegacia de Homicídios da Divisão Especializada de Investigações Criminais), que por meio de investigação e denúncia anônima, chegou ao autor. A polícia também conseguiu imagens de câmeras de monitoramento que mostram o acusado perseguindo Melchior, segundo o delegado Paulo Natal.

 

Ele informa que essas imagens foram apresentadas a pessoa que não presenciou o assassinato, mas que reconheceu o acusado como sendo o autor do crime. Desde então ele passou a ser monitorado, a polícia representou pelo mandado de busca para a casa dele, o qual foi cumprido no início da manhã.

 

O investigado, que fugiu após o assassinato, tendo retornado uma semana depois, foi detido enquanto dormia e confessou o crime, segundo o delegado. 

 

Estilete

 

Ao prestar declarações ele alegou que suspeitava que a vítima estaria furtando a casa dele e, naquela noite, a teria surpreendido no quintal da residência. O investigado alegou ainda que trazia na mochila um estilete, pois trabalha com comunicação visual, fazendo plotagem de veículos.

 

Ele disse que teria utilizado o estilete para golpear Melchior. Segundo o delegado, a mochila que aparece nas imagens obtidas pela investigação foi apreendida, mas não foi encontrado o suposto estilete. Para a polícia, o crime foi praticado com uma faca, que também não foi localizada.

 

Sem passagem

 

Apesar da versão de que a vítima poderia estar furtando a casa do autor, o delegado informa que não há registro recente de furto registrado contra Melchior, que trabalhava como catador de recicláveis. Existe apenas um registro de suspeita de receptação, de 2016. 

 

A Justiça decretou a prisão temporária do investigado, que após ser ouvido foi encaminhado à cadeia de Penápolis. O inquérito segue em andamento e a polícia aguarda a emissão dos laudos da perícia do local do crime e do exame necroscópico.

PREFEITURA DE ARAÇATUBA - IPTU
Entre no grupo do Whatsapp
Logo Trio Copyright © 2024 Trio Agência de Notícias. Todos os direitos reservados.